love lanka

A film by Sebastian-Linda

End of last year I quit all jobs, married my girl and went to Sri Lanka.

"We tend to regard ourselves as puppets of the Past, Driven along by something that is always behind us." Alan Watts


Loving Lanka from Sebastian Linda on Vimeo.

comics by Liz Climo

Elizabeth Climo, or simply Liz Climo, is a talented young animator currently working with the everlasting The Simpsons TV-show. When her day job ends, however, she still has enough time, creative energy and inspiration to create adorable and witty comics that present various animals in amusing everyday interactions.













lizclimo.tumbrl.com

do amor


por luciana chardelli

Há muitos anos atrás, muitos mesmo, quando era praticamente uma adolescente, li, "Do amor, Ensaio de Enigma", sensível livro do saudoso Artur da Távola. Há semanas atrás após a crônica “Quem Nunca Sentiu Saudade?”que escrevi para a página Acidez crônica, recebi uma mensagem delicada que citava o trecho “da perda” deste livro "Do Amor".
Fui, então, reler alguns trechos do meu livro já amarelado pelo tempo, sublinhado pelas descobertas de uma adolescente, hoje, revisitado por estas retinas vividas, achei engraçado alguns trechos sublinhados, quase premonitórios e, enfim, pude concluir: o amor é realmente um enigma.
Pus-me a pensar no amor, esquecendo-me completamente do purismo da língua, das observações analíticas: pensei no amor do dia a dia, o amor desabafado e desabado nos ombros amigos; pensei nos amores de bar e nos amores média, pão e manteiga com olhares perdidos e esperanças matinais.
Ponderei sobre amores que nem sempre são amores, mas que pelo tempo que estiverem trajados de amor serão intermináveis. Pensei nos amores absolutamente apaixonados que visitam camas e muros; nos amores complicados tal qual nó de aselha, cegos em sua existência, e por fim, pensei naquele amor que de tanto ser amor torna-se enigma, aquele amor fecundo em todos os tempos, que será sempre amor mesmo depois de findo.
Este amor é silencioso, sobrevive à própria morte, posto que renasce nas lembranças e em frases de carinho. É amor de travesseiro, não importa o novo amor, muito menos com quem você se deite, haverá de haver um boa noite distante.
Quando eu era jovem discordava da afirmativa de Nelson Rodrigues: “Todo amor é eterno. E se acaba, não era amor”. Entendia que o amor necessitava de presença, toque, sexo, beijos. Hoje minhas retinas refletidas e vividas, permitem-me compreender: Há o amor de querer bem, não importa o fim, segue-se, sim, amando.


© obvious
Follow us: @obvious on Twitter | obviousmagazine on Facebook

bowie


Nunca me faça perder um pouco do que sou, para nunca perder você.


subindo as montanhas
















street art by Kislow

















Street arts by Aleksey Kislow from Ukraine

hula art

Street Artist Sean Yoro também conhecido como HULA




















http://www.hulaaa.com/