ho ho ho !








  rosas não são românticas assim...




ASSISTA:









1:14 / 2:12





bolhas de sabão

Sempre sonhei em fazer enormes bolhas de sabão e passei um dia bolando uma ferramenta perfeita para tal sucesso. Aí vai a dica! Juntei dois pares de baquetas (pode ser dois cabos de vassoura, duas varas,...) , um barbante longo e duas rolhas de vinho. Na segunda foto dá para entender melhor a ferramenta. Use o barbante para criar o aro e as rolhas vão na ponta para não deixar o barbante cair no líquido. Base do líquido: agua, detergente, xarope de milho e fermento. 








As crianças adoram e os adultos tbm! = )

som bom da Céu!

"Retrovisor" é o primeiro clipe do disco da cantora Céu, "Caravana Sereia Bloom"


Pode vir me contar das coisas que
Pensei conhecer em ti
Não sei bem se foi eu que me enganei
Ou foi você que me iludiu





aquela selva




O mundo não a deixava em paz, os cosmos não a deixavam em paz. As guerras, a miséria, a hipocrisia, o fascismo, o fanatismo, o preconceito, o materialismo e a maldade humana atingiam sua epiderme, mente e coração mesmo camuflada e protegida em seu ambiente imaculado. O que a perturbava demasiado era a sua pequena e segura vida. Aquela mísera rotina, totalmente insignificante comparada com tudo que existia no mundo.

Algo aconteceu com aquela menina que sonhava com o impossível. Talvez tenha sido justamente isso, o fato de achar que sonhava com o impossível. Pois desde então, a insegurança dominou e o arrependimento prevaleceu.

...

Está perto do pôr do sol e aquela mulher corre entre árvores e folhagens. Seus pés descalços sentem a terra fria e húmida em cada contato ágil e astuto. Está ofegante e transpira vida e glória pelos seus poros. Chega ao topo da montanha honrada pelo privilégio de se despedir da luz do dia e dar as boas vindas ao brilho da noite.

...
 
Abri os olhos bem devagar. Mais uma vez acordei antes do despertador tocar. Ainda deitada observo o relógio e seus segundos que passeiam pelos minutos. Enquanto sou hipnotizada por aquele ritmo, tento lembrar do que havia sonhado usando esse tempo para analisar as viagens do meu inconsciente.

Sonhei com ela.  Com aquela mulher e sua liberdade que invejo com olhos abertos. Queria poder fecha-los de novo. Voltar lá e sentir sua força e desejos que nunca se perdem com o tempo e sempre são alcançados.

Ela não tem relógio. Ao invés de acordar com medo de perder a hora, desperta com as carícias da luz do sol em sua pele e sorri ao imaginar todas as infinitas possibilidades daquele lindo dia. 

Ela sonha de olhos abertos com tudo que é possível.

...


Minha mãe se foi em uma madrugada, quando eu era pequena e infelizmente não tenho muitas lembranças dela e as poucas que tenho são poucas em muitos sentidos.
Como ela não era uma mãe muito carinhosa e presente, sentia sua falta antes mesmo dela desaparecer. Foi isso mesmo que eu senti, que ela simplesmente desapareceu. Alguem que eu ainda queria conquistar, amar e ensinar a me amar.

Desde então, dormir nunca foi fácil. Sempre acordava no meio da noite para checar cada quarto e ter certeza de que nada levaria tambem meu pai e meu irmão para longe de mim.

Eu tinha que ser forte, mas era difícil. Minha idade e necessidades me enfraqueciam. 
Foi então que ela apareceu. Na época era apenas uma menina como eu, mas tinha algo bem diferente. Era selvagem e nada parecia capaz de ferir seu exterior e nem mesmo seu interior. Tinha uma alma de guerreira e um coração duro e impenetrável. 

Ela vinha de bem longe, do meio da selva para dentro do meu quarto. Muitas vezes não falava nada e só ficava me olhando enquanto eu chorava. Ela não parecia ter conhecimento do que era sofrimento, solidão e não entendia do que eram feitas as lágrimas. Sua ignorância era o que eu mais invejava.

O que aos poucos eu fui entendendo era que ela tambem me invejava. Tinha fome por emoções e sentimentos. Queria sentir o sal da tristeza e a doçura das graças. E tudo o que eu sentia com o passar do tempo foi alimentando a sua alma. Ela não perdia nenhum momento da minha vida. Meu primeiro beijo, minha primeira briga, meu primeiro amor, mais algumas feridas,...Minhas decepções, meus sonhos, meus projetos,... As vezes sentia que ela entendia o meu ser melhor do que eu mesma. 

Além de mais sábia era a mais bonita. Ela foi se tornando uma mulher incrível e de uma beleza que eu me sentia privilegiada em poder admirar sozinha. Seria essa minha recompensa? 

Com o passar dos anos, suas visitas começaram a ficar cada vez menos rotineiras e muitas vezes nem aconteciam. A selva era o seu lar e sua força vinha de lá. Percebi que quanto mais ela ficava na cidade, mais se perdia de sua raiz e natureza. A deixei partir, mas fiz um último pedido. Pedi que não deixasse os meus sonhos e que neles eu pudesse sentir o seu mundo dentro de mim. Que eu pudesse sentir a tristeza, com o sol aquecendo meus olhos. Sentir o medo mas com sua coragem. Amor, com seu coração selvagem. Alegria, até no meio da tempestade.


Entrar em sua infinita e imprevisível selva e sonhar com tudo que é possível.