nina

Ela viajou de carro comigo muitas vezes enquanto meu pai dirigia e suas músicas preenchiam todo aquele espaço entre e dentro de nós. Me lembro de colocar a mão para fora da janela e sentir como se o ar que passava entre meus dedos fosse a sua voz e que sua música era capaz de tocar a minha pele, trazer o sol e inspirar os meus cabelos a dançar com o vento. Era uma força, uma liberdade que não vinha sem dor. Uma voz que viveu calada durante muito tempo, enquanto seus olhos queriam berrar. Mas foi pelos dedos que berrou e começou a falar com o mundo, amar e ser amada.

rubs & billie





























floating in my mind

Nós cruzamos com várias pessoas ao longo da nossa vida e algumas delas acabam deixando marcas profundas em nós. E se as guardássemos que nem balões, preenchidos com memórias? Se elas andassem conosco pra todo o lado? Pra refletir sobre relacionamentos, vale a pena ver este curta da autoria de Hélène Leroux, e que se chama de Floating in My Mind.
O curta acompanha a vida do protagonista, desde a infância até à velhice, e utiliza os balões como metáfora, pra pensar na vida, nas memórias que deixamos e na passagem de testemunho que, inevitavelmente, teremos de fazer.
Inspirado pelo filme da Disney/Pixar “UP”, esta simples animação merece um pouco do seu tempo.

passatempo






beijinhos <3