sonho

ela cortava sua pele feita de papel,
esperando sentir alguma coisa.
passava a tesoura pelos longos cabelos negros,
querendo não ser mais a mesma.
eles ardiam e sangravam. isso ela sentia.
mordia seus lábios com força,
na esperança de também sentir.
eles ardiam e sangravam. isso ela sentia
mas sua pele parecia não perceber,
cada queimadura, cada corte, cada pancada.

ela queria gritar pela angústia de não sentir,
mas sua voz ardia e queimava por dentro.
isso ela também sentia.